quinta-feira, 26 de março de 2009

Quando Falta Tempo

Um dia de nuvens espessas rodeando a vida vazia,
um sentimento descompassado,
uma mudança de planos.
Ouço os passos próximos da porta de entrada,
papéis se amassando, as cadeiras se arrastam,
silêncio completo.
Estamos sendo observados,
A origem de tudo isso foi a falsa imagem apresentada.
A imagem de todos os dias, a face nua.
A ascensão fez-me ir ao chão, da noite ao dia,
quebramos a cara, um sacrifício verdadeiro,
rastejamos, servimos aos outros, à troco de que?
E precisa ter troco?
As moedas ficam comigo, deixe a gorjeta para mais tarde,
há mais para pagar por agora, há muito pouco para levar
na bagagem.
A vida é um princípio capsular, ainda não saímos da casca,
ainda não quebramos o gelo.
Há tanto para se viver lá fora, há muito que não vejo a lua no céu,
ele chora à vários dias, não dá tempo, corro tanto que só vejo
o pouco que fica pra trás, os detalhes já fugiram do ângulo,
sumiram das vistas.

3 comentários:

MARCOS disse...

lua...?
se tiver uma estrêla já ta bom demais.
rs

argentinito disse...

muy bueno!

darsh. disse...

tão bonito :)