domingo, 15 de março de 2009

Nuança

Por que o meu amor é o que me inspira à perseguir o meu devaneio,
à revirar minha loucura,
à me recriar...
Sou dele e ele é meu,
por enquanto é o que me basta,
é minha certeza incerta,
é quando fecho os olhos e mesmo que olhando
pro lado é só a sua voz que eu escuto,
já que dizes que escrevo o que vivo, hoje,
resolvi te escrever, para ver se você acredita.
Para ver se você vai me ler...
E o que vai ler, é possível que ainda não compreendas,
mesmo sabendo que é de fácil entendimento...
O que eu sei, é o que você sabe, e mesmo que eu saiba
de tudo, ainda assim, não saberei nada sem olhar no
fundo dos teus olhos castanhos,
esses olhos que rasgaram a casca que me revestia,
tentando profundamente burlar as minhas peles,
ainda falta para que todas caiam por terra,
mas posso dizer que és aquele que chegou
mais perto de ver minha carne nua!

4 comentários:

GrandeR@O disse...

nossa que poema legal
parabens
bjus

Filippe. disse...

ah, o desejo de ser lido.

Apenas um pedaço de mim disse...

Assim...
...Escrevemos especialmente para alguém, ou para nós mesmos, ou para o mundo, ou para ninguém... E se quem era esperado para ler, leu, então valeu... Se não... Valeu muito mais, pois a inspiração foi muito maior...
Parabéns está lindo e perfeito!

Isa disse...

é muito gostar para um texto só