sexta-feira, 20 de março de 2009

Embarcação

Levantei-me pisando com cuidado naquele chão frio,
ainda estava escuro, não enxergava nada, fui tateando a parede,
até encontrar um apagador, click, escuridão,
Encontrei a porta, girei a maçaneta devagar,
abri os olhos para o mundo lá fora.
Encontrei um corredor sombrio e mais uma porta aberta,
entrei sem bater, me aconcheguei naqueles lençóis macios,
cansaço, fechei os olhos e a luz se fez de dentro para fora e afogou
os passageiros que trafegavam pelas bordas, acordei com um grito,
talvez fosse o meu próprio, mas isso não importava, já era dia,
minha cama estava virada e não havia mais ninguém ali, apenas minha sombra,
o grito ecoava pelos cantos, os apagadores se reacendiam...
Os passageiros eram os meus lençóis, e os meus sonhos acabaram engolindo-os.

4 comentários:

MARCOS disse...

lost purinho...rs

Nayara .NY disse...

o pior de tudo é q eu nem assisto isso... rs

Pedro disse...

Gostei da forma como você escreve!

Amanda Goulart: Jornalismo em tempo real disse...

Lindo.