domingo, 15 de fevereiro de 2009

Pesadelo I

Eu apaguei a luz do dia
com a mesma facilidade com a qual
vejo o sol se pondo
Era o que queria?
Meus olhos já não vêem
assim como meu corpo não se move
Fechem as cortinas
Eu quero fechar o mundo lá fora

6 comentários:

Marcela' disse...

Isolar-se?
'Expresse-se e viva!'
baaci :*

R.Vinicius disse...

Nayara que poema intenso! Que palavras! Que talento! Quanta expressão em seu cunho! Gosto do fato de acompanhar o seu talento!

Abraço,

R.Vinicius

Milson Veloso disse...

Às vezes, a única vontade que temos é de subir bem alto, em um lugar onde possamos ver o mundo sem sermos notados. A solidão faz parte (acho que é uma necessidade) da existência humana...

Taynara disse...

Suas vontades nem sempre condizem com as necessidades de sua alma. Você nasceu para viver intensamente mulher, o sol brilha pra ti até mesmo nas noites de aparente escuridão!

Pedrosa disse...

A cortina fecha o mundo lá fora
ou você se fecha para que o mundo lá fora não à veja?
Apagar a luz do dia como se apaga o abajour ou apagar a luz interna como se apaga-se a própria vida?

"Fico assim calado, feito um bom moço angustiado. e estatefado com tudo que está do meu lado"

Amanda Goulart: Jornalismo em tempo real disse...

Feche as cortinas pois meus olhos estão ardendo também.