domingo, 3 de janeiro de 2010

Exiguidade

Vi você hoje na esquina dos meus sonhos,
reparei no seu corte de cabelo e na sua pele queimada de sol,
Pude ver também o modo como olhava para mim,
parecia que era a primeira vez que me via,
Seus olhos estavam cheios de expectativas,
Mas havia uma névoa que nos separava,
Alguma coisa te impedia de se aproximar.
Acordei de repente, com você na minha cabeça,
queria você aqui.
Eu estava no meu quarto, imaginando onde você poderia estar.
Queria te buscar das esquinas dos meus pensamentos para a esquina da minha rua.
Fazer de você letra para minha poesia.
Ou virar poesia para sua melodia.
Olhar você da varanda.
Deitar na rede e sonhar acordado.
Mas pena você não existir.
Pena que você é real apenas nos meus sonhos
e que deles você anda passando longe.
Volte mais vezes.
Aguardo a composição que ficará gravada em minha pele,
uma nova estampa para esse rosto.
Fale mais comigo, seu grito anda mudo,
preciso desse som para suprir minha falta de você.
Amanheceu novamente, como todos os dias.
E pude acordar com a mesma sensação de ausência,
com o mesmo sentimento de que não te verei hoje também.

4 comentários:

Jéssica V. Amâncio disse...

mas que tristes palavras... está lindo.

Eliane Melo disse...

Muito bom o textooo...
apos tudo e sempre vem a sensação de ausência.

Parabéns

Maldito disse...

Pro seu bem,..esperoq ue essa sensação passe logo!
bj

Patrícia disse...

Nossa, que lindo!
Adorei o blog!

=)