sábado, 19 de setembro de 2009

Seria Óbvio

Saudade de escrever a alma no papel
de rabiscar os traços dos olhos
de olhar os rostos
Saudade da pouca falta de tempo
De limpar a casa
De sentir o vento
De não ter nada à perder
Saudade de gritar à toa
De dançar na lua
De não beber
Saudade de comer sem querer
De ficar perto das pessoas
De tocar
De amar
De correr
Saudade daquela esquina
Daqueles amigos
Daqueles sorrisos
Saudade da falsidade
Saudade de dizer sempre a verdade
Saudade de não ter saudade
Saudade de não sofrer

6 comentários:

beibe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
beibe disse...

eu também tenho saudade;

das poesias
das visitas
da coisa devagar.

não corra com o mundo....


marcos

Rebeca Rocha disse...

amo seu blog, e tem um selinho pra vc no meu!

meus instantes e momentos disse...

bonito, belo post.
Tenha um ótimo dia.
Maurizio

Lucas Lima disse...

Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.
Adriana Falcão
Boa semana

Milen@ Medeiros disse...

Copiei essa poesia e colei no meu cantinho da poesia, lá no space live.Dando os devidos créditos.