domingo, 27 de setembro de 2009

Quando Falta um Coração

Acordo com todos os fantasmas ao redor,
O dia parece frio lá fora,
Só falta dar mais um passo,
Falta apenas abrir os olhos,
Falta um pouco de ar pra respirar.
Parece que tudo está fora da realidade,
sinto-me ofegante,
o corpo cansado,
A cabeça doente,
Insônia profunda,
Os olhos inchados,
As lágrimas nas pontas dos dedos.
Matei um pedaço meu para continuar vivendo,
Adormeci no meu velório,
As bocas inflamadas de palavras,
Os olhares distorcidos.
Olham para mim é não enxergam ninguém,
porque parte de mim grita,
enquanto a outra parte apenas chora.
A vida segue seu curso como o de um rio,
para as profundezas da morte,
para a solidão.
O tempo continua correndo no relógio
como se nada tivesse acontecido.
O sol continua sorrindo.
Queria um dia menos feliz para justificar o meu
não sorrir,
Queria chover para ser só chuva correndo pro mar.

Um comentário:

beibe disse...

as escolhas mais difíceis....
quais são?
as que fazemos, as que fazem por nós ou as que nos obrigam fazer?
"saio,
vivo,
de tudo,
mesmo sob tudo,
saio"