segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

HIPOCONDRIA




Entre corpos estou eu
Prostada em um mesmo canto
Cedendo aos poucos
para a frágil resistência
Hipocondríacos, Sonâmbulos
Está tudo fechado
Bateram as portas do inferno
E para nós? O que terá sobrado?
Caminhos longos e persuasivos
Vindos desses incólumes desatinos
Calabousos vazios
Já se foram todos
A cada passo mais distante
e mais próximo desse estado melancólico
Não fui eu
Não sou mais
Apenas essa morbidez
Apenas esse vazio
Estou à um passo da vida
e à meio da morte

2 comentários:

MARCOS disse...

não sei com o que parece
assim, ao longe.
na dúvida, mergulho daqui
e saio aí,
são, salvo.
e te salvo,
você, alvo,
contudo, com tudo.
calmo.

Amanda Goulart: A Liberdade pelas mãos do Jornalismo disse...

PORRA!!!
Isso expressa o que as vezes sentimos.
Uma morbidez que invade, uma vontade de entrar debaixo de um caminhão...
Maravi!