sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

AGONIA

Um tumulto qualquer
de um desengano,
macerando,
estraçalhando cada parte de mim.
Essa voluptuosidade que se apossou
do meu corpo não é nada.
É um desconsolo sem fim,
está entranhado em minha alma,
em minhas veias,
e como um veneno
se espalhou por minhas entranhas.
Agora que grande parte do que
escondia se revelou,
é ainda pior...
é um descontentamento ainda
mais descontente.
Esse estado que transcende
à todas as coisas.
...É uma mera desilusão...

3 comentários:

Maldito disse...

Palavras viscerais,...adorei!
Parabens!
Inté

MARCOS disse...

Saber que meus membros doem ao crescer, não é nada comparado ao sentir minha alma presa em meus sentimentos. Quero asa grande, de anja, de harpia. Pra olhar de cima e me ver sentada esperando que meu pouso não demore. Sou franca comigo e não me peço licença quando vou cair de cima, do alto de minhaas convicções de beira de abismo. Sou moça de cabelo a marcar na testa. Sou a festa comemorativa da vida. Todo dia é meu. Sou efêmera em tudo, inclusive em ser efêmera. Sou a mesma que não diz Ny. (sua marca profunda ao escrever é "severamente", a cada dia, mais inspiradora). congratulations!

R.Vinicius disse...

A desilusão é muito ruim. Li uma certa vez que a desilusão e a decepção são os piores sentimentos ou emoções, pois não se sabe expressá-lo. Ele apenas é. Existe. Tortura. Deixa um gosto amargo na nossa boca.

Você escreve muito bem. Gosto da forma com a qual você escreve. É leve, sensível, inteligente. Talentosa.

Abraço,

R.Vinicius