sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Autenticidade


O desfalecimento desses momentos
conformam-se em pensamentos,
Atitudes.
Loucuras estraçalhadoras.
Em mente, em pesadelos.
O que busca sua alma?
A falta, o vazio, a remanescência?
A complexidade identificada
em pequenos gestos,
e o caos que soprepõe
as coisas simples.
É a vontade de viver.
A esperança,
A deposição de idéias,
As desculpas,
Os critérios,
Todos os casos evidenciados
que comprovam nossa insuficiência.
Tudo limitado.
Fantasmas deprimentes,
Encalacrando tantos por quês.
Temos sede por essa vida amarga,
Por ver todo esse sangue derramado,
Por esse sofrimento doentio,
Que bate á nossa porta todas as noites,
Que nos prende nesse mundo louco,
Que nos faz loucos completos,
e tantas vezes tão superficiais.
O que há em seus olhos,
Você não pode esconder,
Há algo que grita
É seu princípio de vida,
Chorando suplica a ausência
A áustera decisão.
Tudo isto coligido,
Embarcado,
Levamos tudo embora...
Nada fica...
No fim só há vazio e depressão...

2 comentários:

MARCOS disse...

deixamos o que deixamos nos pertencer
ao permitir, ao sentir profundo
somente em nós mesmos existir,
de tudo, completamente viver.
há espaço para mais,
para mais,
para mais.

O Título Certo disse...

Parabens pelo blog!

=)