segunda-feira, 29 de setembro de 2008

29/09/08 - Primeira Confissão

---------Preciso de férias de mim------------

Eu já não consigo
Ás vezes o silêncio diz mais que minhas podres palavras
O que tenho por dentro é uma mistura
que ás vezes me cega
E eu sou cada dia pior
Não preciso de mais nada
Eu sei até que ponto eu errei,
e o que é preciso fazer para consertar o estrago
Muito sangue já foi derramado
E não há tanto o que dizer
quanto havia antes.
Os tempos mudarão
A evolução deveria fazer parte de tudo isso
mas regresso ao passado
concisamente subjulgado,
desumano
Estou fazendo tudo errado
Vai chegar um dia em que o sol
não vai nascer
E as horas não irão passar
Seca a boca
Não haverá mais chances
Nem glória
E a volta será o arrependimento
Injustificável pela falta de perdão.
Tenho tanto medo de perder que prefiro me afastar
Prefiro não ver meu mundo cair
Faço com que a queda seja breve
e o sofrimento menor para ambas as partes
Tudo dói

...

Um comentário:

MARCOS disse...

parece cachoeira,
parece letra de música,
parece vento,
parece tentar...


tá maaaaasa!