sábado, 3 de outubro de 2009

...

Uma frase pela metade,
As lembranças da semana.
Uma ave negra,
uma noite nublada,
um travesseiro,
uma garrafa.

11 comentários:

i ILÓGICO disse...

e o vôo? e o vôo?
voa!!!! e vê!!!!

Jamylle Carvalho disse...

Oi querida .. Vim aqui só pra lembrar que amanhã o blogueando vai ao ar oficialmente e o 1º tema será lançado.
Espero ver teu texto ein!
Passa lá amanhã pra ver o tema e não fique de fora ... Sua participação é muito importante!
Beijinho :*

Projeto Funcionaface disse...

Nayara, parabéns pelas suas palavras, muito profundo a maneira que você escreve!!!!
Abraços e muita cultura nas veias.
André Borges
http://funcionaface.blogspot.com
www.2play.com.br/funcionaface

Arpeggi disse...

Sublime(...)

Fer Siqueira* disse...

NY,

"um travesseiro,
uma garrafa."
E os vícios da memória e da saudade do qual consiste e insiste o licor que tomas ao anoitecer vendo a foto do qual não sabes nada além do papel e dos tons, a foto do qual já não tens o sentir, da qual se cria e se desfaz querendo ir e vir ao mesmo tempo por esse túnel sem vias duplas do qual queres ao mesmo tempo ir ou contramão... As tralhas no banco de tras, por tras de si, dos seus medos, das suas vontades, entre papeis e contas no porta-luvas e nas gavetas do armário do seu peito, portas fechadas para um, que já não queres mais... e as palavras tropeçam, se fazem metades... partes de si... que foi... que és... e outras partes do que ainda encontrarás na próxima esquina.
=)
Lindos.

Fer Siqueira

Fer Siqueira* disse...

NY,

"um travesseiro,
uma garrafa."
E os vícios da memória e da saudade do qual consiste e insiste o licor que tomas ao anoitecer vendo a foto do qual não sabes nada além do papel e dos tons, a foto do qual já não tens o sentir, da qual se cria e se desfaz querendo ir e vir ao mesmo tempo por esse túnel sem vias duplas do qual queres ao mesmo tempo ir ou contramão... As tralhas no banco de tras, por tras de si, dos seus medos, das suas vontades, entre papeis e contas no porta-luvas e nas gavetas do armário do seu peito, portas fechadas para um, que já não queres mais... e as palavras tropeçam, se fazem metades... partes de si... que foi... que és... e outras partes do que ainda encontrarás na próxima esquina.
=)
Lindos.

Fer Siqueira

Luana Mendes disse...

E tem momentos (bons, ou insanos, ou sei lá em que terminar com a garrafa é REALMENTE a elhor solução.

É bom, é ruim, mas passa.

;*

Azoth disse...

Um brinde....

Fraternalmente :.

Amanda Goulart: Jornalismo em tempo real disse...

Coisas que fazem parte da nossa solidão e monotonia, essas tais que são totalmente necessárias para o crescimento.
Grande beijo amiga!
Lindo layout.

Eliane Melo disse...

Adorei seus texto....
sempre esterei por aqui, olhando mais..
=)

Lucas Lima disse...

andas sumida...
divida essa garrafa comigo, rs
bons dias