quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Relação

Retire de mim essa loucura que devagar se apossa de tudo
Invada-me com teus olhos profundos
Quero buscar esse entendimento que só você tem
Bata em minha porta novamente,
irei atendê-lo
Não chorarei mais pelos cantos,
irei encará-lo de frente!
Talvez se assuste e vá embora,
peço apenas que não permaneça olhando.
Teus olhos me incomodam
você me desnuda
deixando livre a minha carne unilateral.
Não fique aí parado,
se bateu, entre logo.
O frio adentrou o meu lar e resolveu habitar dentro de mim.
Não quero fazê-lo infeliz,
por isso acho melhor falar o que não te agrada,
talvez eu ainda possa mudar.
E se tudo der certo,
em breve, você será livre.

2 comentários:

i ILÓGICO disse...

a marca que é feita no momento do corte, o atrito, o que jorra, o que fica (agora fazendo parte). é a faca, punhal, punho abrindo a pele. ocorrência única. para sempre, mesmo sem notar. ainda lembro.

faaaaaaaaaala nayara!!!!
lindo o que anda escrevendo, em alguns, cada dia mais fatal!

beijo-te

Sarah S disse...

Dificil encarar assim, de frente.