domingo, 21 de junho de 2009

Sépala

Hoje nada se estabelece fixo em meu caminho,
as passadas rápidas e largas desbravaram tua grandeza.
Busque as coisas que estão inalcançáveis.
A graça está em se fazer rir.
Eu me detenho em ti,
em limites sinceros,
em magnitude de farsas.
Clamo o pedido da vida.
Visão pitoresca de realidade,
cabeça baixa,
boca surda.
Quero os meus pés de volta para mim,
para não correr mais com as mãos,
para virar desenho animado.
Para não ter sabão debaixo das unhas,
Degenero, abro os braços,
sonho com tudo de novo,
e as pernas se cansam de não serem sustentadas.

6 comentários:

Laís de Ponte disse...

Gostei muito!!!

Azoth disse...

Um Bem-haja.

Força, nunca desista.

Amanda Goulart: Jornalismo em tempo real disse...

Amo seu jeito de escrever!
Lindo como sempre!

darsh. disse...

sinto minhas pernas exatamente assim. :/

GrandeR@O disse...

gostei muito
bjus

Anitha Rosenrot disse...

O teu jeito de escrever me lembra Clarice Lispector, já te disse isso? Gosto muitíssimo.
"Busque as coisas que estão inalcançáveis.
A graça está em se fazer rir."

Lindo isso!