domingo, 31 de outubro de 2010

Ela

A tarde passa
Como ela passava na calçada
Espaços do pensamento devastados,
Impregnados com as lembranças dela
O concreto pra mim passa longe
Tão distante como seu olhar
Ela estava
Ela era
Um pouco de mim
E eu
Um pedaço dela

4 comentários:

i ILÓGICO disse...

que lindo!!!
continue! vai funuuundo!!!
lembrei daquele lance de pisar apenas nas linhas da calçada......

Thainá Rosa disse...

Menina,queria saber fazer poesia assim. *-* Lindo!

GrandeR@O disse...

adorei
há braços psicodelicos

Genny Xavier disse...

A tarde passa, como passam os versos pelas emoções do poeta...

Saudações poéticas!
Genny